2

14

9

Actions

Login to access more actions

Death Stranding

2019

100. Crítica do jogo Death Stranding, produzido por Kojima Productions. Escrito e dirigido por Hideo Kojima. No jogo controlamos o Sam Bridges (Norman Reedus), vivendo em um futuro não muito distante completamente transformado pelo Death Stranding (um evento apocalíptico). Carregando as últimas esperanças de um futuro, Sam embarca em uma jornada para reconstruir o mundo aniquilado, um passo de cada vez, fazendo com que as pessoas se conectem novamente. Acho que é um dos únicos games em que tem o principal objetivo em passar uma mensagem importante para nós, mas também, emitir essa própria ideia em seu gameplay. Desde as primeiras horas de jogo fazemos em grande escala apenas uma coisa; fazer entregas, algo que ao mesmo tempo, simboliza essa conexão com as pessoas, quanto também a ruína do mundo. No começo do jogo, tínhamos essa mentalidade de que o mundo antes do Death Stranding havia avançado tanto tecnologicamente que as pessoas chegaram a depender unicamente a inovações tecnológicas, como robôs entregadores ou serviços aptos em primeira mão, fazendo com que as pessoas não se socializarem mais com as outras. Essa última impressão deixada pela humanidade antes do Death Stranding ainda perpetuou depois, assim, nós tendo o objetivo em conectar as pessoas novamente, assim, reconstruindo uma nação (que no jogo é conhecido como Cidades Unidas das Américas). Num olhar cinéfilo, também é uma obra prima. Principalmente pela utilização de ideais cinematográficos profundos tanto em sua gameplay quanto em suas cutscenes (cenas não jogáveis). Ele re-imagina a misé-en-scene por um olhar jogável e é aí onde ele brilha, consegue funcionar tanto como um jogo assim como um filme, principalmente nos últimos capítulos. Durante essa jornada, conhecemos personagens que refletem ainda mais no condicionamento humano antes e depois do Death Stranding, como o Heartman, interpretado pelo Nicolas Winding Refn (isso mesmo, o diretor de Drive), que possui um coração com um formato "icônico" (❤️), ou o Deadman, interpretado por Guillermo Dele Toro que passa mais tempo com os mortos analisando corpos do que com um ser vivo, dentre diversos outros personagens. Na maioria das críticas que li sobre, quase todas reclamavam do combate do jogo, sendo que é um jogo que é fielmente submetido por sua mensagem. De uma maneira simplificada, é um jogo que emite uma ideia pacifista. Inclusive, o melhor jogo que remete a uma gameplay instantânea. Principalmente por que nas entregas, temos que ter cuidado em certos caminhos e temos que nos equilibrar, com essa ideia ele é claramente inspirado no clássico "Wages of Fear" (Salário do Medo), tendo essa ideia de chegar do ponto A ao ponto B e as complicações no meio. A trilha sonora disso aqui é satisfatória num nível inimaginável, é quase como se fosse a melhor sensação de "paz" que o jogo fornece, você lembra de cada entrega difícil que estava tendo e quando chega perto do local de entrega toca alguma música, grande parte é da banda "Low Roar" e encaixa com essa ideia de isolamento, o próprio Kojima disse que quando ouviu Low Roar pela primeira vez ele imaginou o Sam andando sozinho. As últimas 5 horas disso aqui são perfeitos. Trilham tanto todo o caminho que percorremos no jogo inteiro quanto também focar no lado emocional. O capítulo 14 inteiro tem uma carga re-encenadora parecido com os últimos filmes do Clint Eastwood, porém com uma força sentimentalista muito forte, um lindo final. Death Stranding ao final de tudo, consegue ser um exemplo em jogatina e entretenimento. É sobre o corpo e alma, a esperança e o fim de um ciclo, o bem e o mal, o começo o o final, mas principalmente, é sobre nós. Death Stranding foi vencedor de 3 prêmios do The Game Awards, ganhador de Melhor Direção, Melhor Trilha Sonora e Melhor Performance (Mads Mikkelsen).

1 week ago

10 Ratings

Avg 4.0

Library Distribution

Want to Play

25

Playing

9

Endless

0

Mastered

0

Finished

9

Benched

3

Dropped

2

Additional Information

Release Date: 08th November 2019

Genres: Adventure, Shooter

Themes: Action, Open world, Science fiction

Platforms: PlayStation 4